quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Explicando as pedaladas fiscais: por que são crime e por que prejudicaram exatamente os mais pobres

Explicando as pedaladas fiscais: por que são crime e por que prejudicaram exatamente os mais pobres: Quais foram, portanto, as consequências diretas das pedaladas? Aumento da quantidade de dinheiro na economia (inflação monetária), aumento não-contabilizado de gastos, e subsequente destruição do orçamento do governo causada por essa maquiagem contábil. Quais foram as consequências indiretas? Consolidação do déficit orçamentário em níveis recordes (nada menos que 9% do PIB) por causa do aumento de gastos possibilitado pelas pedaladas, perda do grau de investimento pelas três agências de classificação de risco, disparada da taxa de câmbio, aumento da inflação de preços a dois dígitos, queda da renda real dos trabalhadores (gráfico 14) e, inevitavelmente, aumento da pobreza. Este foi o verdadeiro crime do governo Dilma.

domingo, 21 de agosto de 2016

Como a Justiça do Trabalho aumenta a desigualdade no Brasil

Como a Justiça do Trabalho aumenta a desigualdade no Brasil: A Justiça do Trabalho brasileira, que compartilha fortes semelhanças com tribunais de exceção, deu um passo adiante para declarar isso de forma explícita: os juízes do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (SP) divulgaram nesta segunda-feira passada uma declaração atestando que a Justiça do Trabalho é um poderoso instrumento de distribuição de renda. Em outras palavras, eles estão agora abertamente confessando que aplicam uma regra que não existe no ordenamento jurídico, que é inconstitucional, e que corrobora o caráter de exceção de sua justiça. O mais irônico, contudo, é que é possível, por meio das ciências econômicas, afirmar que a Justiça do Trabalho funciona como uma instituição que atua fortemente em prol da concentração geral de renda na sociedade brasileira.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

A Coca-Cola, os privilégios governamentais e a guerra às drogas - uma relação que poucos conhecem

A Coca-Cola, os privilégios governamentais e a guerra às drogas - uma relação que poucos conhecem: Já entrou para o rol das curiosidades históricas o fato de que a fórmula original da Coca-Cola continha cocaína. Porém, há uma outra história muito menos conhecida da Coca-Cola, a qual possui interessantes componentes que envolvem o governo, o corporativismo e a guerra às drogas.O sucesso da Coca-Cola como a mega-empresa que ela é hoje se deve, ao menos em parte, aos privilégios especiais concedidos pelo governo americano durante a Segunda Guerra Mundial, os quais se mantêm até hoje, e à supressão de potenciais concorrentes nos primórdios das políticas anti-drogas do governo americano.

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Via arrecadação 2016. Quanto seu Estado repassa e recebe do Governo Federal

Veja abaixo quanto cada Estado recebe e repassa ao Governo Federal (via arrecadação de Impostos ). Depois faça as contas e veja quem sustenta quem? É assustador…
O Brasil que trabalha…
Estado
Quanto paga ao governo federal
Quanto recebe do governo federal
Em vermelho devedor e Azul credor
Maranhão
1.886.861.994,84
9.831.790.540,24
-7.944.928.545,40
Bahia
9.830.083.697,06
17.275.802.516,78
-7.445.718.819,72
Pará
2.544.116.965,09
9.101.282.246,80
-6.557.165.281,71
Ceará
4.845.815.126,84
10.819.258.581,80
-5.973.443.454,96
Paraíba
1.353.784.216,43
5.993.161.190,25
-4.639.376.973,82
Piauí
843.698.017,31
5.346.494.154,99
-4.502.796.137,68
Alagoas
937.683.021,32
5.034.000.986,56
-4.096.317.965,24
Pernambuco
7.228.568.170,86
11.035.453.757,64
-3.806.885.586,78
Rio Grande do Norte
1.423.354.052,68
5.094.159.612,85
-3.670.805.560,17
Tocantins
482.297.969,89
3.687.285.166,85
-3.204.987.196,96
Sergipe
1.025.382.562,89
3.884.995.979,60
-2.859.613.416,71
Acre
244.750.128,94
2.656.845.240,92
-2.412.095.111,98
Amapá
225.847.873,82
2.061.977.040,18
-1.836.129.166,36
Rondônia
686.396.463,36
2.488.438.619,93
-1.802.042.156,57
Mato Grosso
2.080.530.300,55
3.864.040.162,26
-1.783.509.861,71
Roraima
200.919.261,72
1.822.752.349,69
-1.621.833.087,97
Mato Grosso do Sul
1.540.859.248,86
2.804.306.811,00
-1.263.447.562,14
Goiás
5.397.629.534,72
5.574.250.551,47
-176.621.016,75
Amazonas
6.283.046.181,11
3.918.321.477,20
2.364.724.703,91
Espírito Santo
8.054.204.123,90
3.639.995.935,80
4.414.208.188,10
Santa Catarina
13.479.633.690,29
5.239.089.364,89
8.240.544.325,40
Minas Gerais
26.555.017.384,87
17.075.765.819,42
9.479.251.565,45
Paraná
21.686.569.501,93
9.219.952.959,85
12.466.616.542,08
Rio Grande do Sul
21.978.881.644,52
9.199.070.108,62
12.779.811.535,90
Rio de Janeiro
101.964.282.067,55
16.005.043.354,79
85.959.238.712,76
São Paulo
204.151.379.293,05
22.737.265.406,96
181.414.113.886,09

Maranhão – O que recebe mais esmola, seguido da Bahia e do Pará.
E a conta só não está mais feia porque não listamos Brasília, a CAPITAL DOS “ALI-BABÁS”…


quarta-feira, 3 de agosto de 2016

O estágio final do socialismo: governo venezuelano impõe campos de trabalho forçado à população

O estágio final do socialismo: governo venezuelano impõe campos de trabalho forçado à população: O mais recente, e trágico, exemplo prático disso é a democracia socialista da Venezuela. Primeiro, o governo venezuelano arruinou completamente a economia com a adoção de medidas socialistas. A mistura de hiperinflação (gerada pela impressão desmedida de dinheiro), controle de preços e estatizações de fábricas e lojas não apenas não conseguiu gerar oferta abundante de nenhum bem, como, ao contrário, gerou desabastecimento generalizado -- as prateleiras das lojas e dos supermercados estão vazias e as pessoas de classe média que antes tinham emprego estão hoje esfomeadas, tendo de literalmente revirar latas de lixo e matar gatos e pombos nas ruas para ter o que comer. (Veja relatos completos e apavorantes aqui e aqui) Agora, para tentar reverter a fome a escassez de comida, o governo venezuelano decretou que os cidadãos venezuelanos serão compulsoriamente convocados a trabalhar em fazendas agrícolas estatizadas por pelo menos 60 dias para reverter a fome que vem castigando o país. Continua.

Trump vs. Hillary - qual o seu planejador central favorito?

Trump vs. Hillary - qual o seu planejador central favorito?: Tentar separar minuciosamente as diferenças políticas de ambos é uma completa perda de tempo, pois nenhum deles mantém alguma posição baseada em princípio. Ambos adotam um decrépito pragmatismo estatizante com a presunção de que, se há algo de errado com o mundo, o governo pode consertar. Ao menos já está ficando aparente, e com cada vez mais intensidade, que a diferença entre ela e ele se resume a apenas uma briga entre duas facções dentro de um mesmo e único partido. Antigamente, já era comum -- especialmente entre os libertários -- dizer que não havia diferença nenhuma entre republicanos e democratas. No entanto, ainda assim sabíamos que havia uma hipérbole nessa afirmação. Ao menos retoricamente, um dos lados fazia gestos de boa vontade em prol do liberalismo clássico. Agora, isso se evaporou completamente.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Como a crescente estatização do crédito destruiu a economia brasileira e as finanças dos governos

Como a crescente estatização do crédito destruiu a economia brasileira e as finanças dos governos: Após ter sido bombardeado por inúmeras propagandas ufanistas e eufóricas durante os últimos 13 anos, as quais prometiam um Brasil grande e de prosperidade eterna, é natural que o brasileiro hoje se sinta deprimido, e até mesmo revoltado, ao constatar que foi enganado e que aquela economia pujante que lhe haviam prometido nada mais era do que um conto de fadas. Ludwig von Mises explicou bem este componente emocional em suas obras. As pessoas se acostumam a um padrão de vida crescente durante a fase da expansão econômica artificial e, mais tarde, quando a nova realidade se impõe avassaladoramente, elas se recusam a aceitar que tudo não havia passado de uma gostosa mentira, pois imaginavam que aquela fase próspera realmente representava um novo e definitivo padrão.Não existe mágica em economia. Uma medida aparentemente benéfica -- quem pode ser contra a redução dos juros?!, desafiavam os defensores do governo -- gerou consequências desastrosas. A missão de um economista é, acima de tudo, apontar as relações de causa e efeito -- as mais ignoradas na economia.

Como acabar com a impunidade fiscal - Le Monde Diplomatique Brasil

Eva Joly: Como acabar com a impunidade fiscal - Le Monde Diplomatique Brasil

quinta-feira, 16 de junho de 2016

As diferenças cruciais entre os regimes de esquerda na América Latina

As diferenças cruciais entre os regimes de esquerda na América Latina: O desastre econômico que está ocorrendo na Venezuela despertou a curiosidade de literalmente todo o mundo. Mídia, intelectuais, acadêmicos e o cidadão médio tentam entender o que foi que tornou as coisas tão horrendas no país. Não basta simplesmente dizer que foi o socialismo. Afinal, os líderes políticos de Equador e Bolívia também são declaradamente socialistas, ao menos na retórica. A Argentina, quando ainda presidida por Cristina Kirchner, adotou medidas abertamente socialistas e deu seguidos calotes em seus credores externos; porém, nem isso e nem as várias outras bagunças feitas pelo governo argentino geraram os martírios que estão ocorrendo na Venezuela. O esquerdista Brasil ainda permanece uma questão em aberto. Portanto, o que houve de diferente na Venezuela que levou o país ao limiar da inanição, enquanto a Bolívia e o Equador permanecem relativamente estáveis e sem pessoas morrendo de fome? A resposta está no profundo volume do socialismo praticado na Venezuela em relação aos seus vizinhos sul-americanos.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Por que os intelectuais odeiam o capitalismo?

Por que os intelectuais odeiam o capitalismo?: O intelectual é geralmente uma pessoa profundamente ressentida. O intelectual se encontra em uma situação de mercado muito incômoda: na maior parte das circunstâncias, ele percebe que o valor de mercado que ele gera ao processo produtivo da economia é bastante pequeno. Apenas pense nisso: você estudou durante vários anos, passou vários maus bocados, teve de fazer o grande sacrifício de emigrar para Paris, passou boa parte da sua vida pintando quadros aos quais poucas pessoas dão valor e ainda menos pessoas se dispõem a comprá-los. Você se torna um ressentido. Há algo de muito podre na sociedade capitalista quando as pessoas não valorizam como deve os seus esforços, os seus belos quadros, os seus profundos poemas, os seus refinados artigos e seus geniais romances. Mesmo aqueles intelectuais que conseguem obter sucesso e prestígio no mercado capitalista nunca estão satisfeitos com o que lhes pagam. O raciocínio é sempre o mesmo: Levando em conta tudo o que faço como intelectual, sobretudo levando em conta toda a miséria moral que me rodeia, meu trabalho e meu esforço não são devidamente reconhecidos e remunerados. Não posso aceitar, como intelectual de prestígio que sou, que um ignorante, um parvo, um inculto empresário ganhe 10 ou 100 vezes mais do que eu simplesmente por estar vendendo qualquer coisa absurda, como carne bovina, sapatos ou barbeadores em um mercado voltado para satisfazer os desejos artificiais das massas incultas.

quinta-feira, 7 de abril de 2016

E se a política brasileira fosse o "Senhor dos Aneis".


E se a política brasileira fosse o "Senhor dos Anéis": 


1. Sauron seria o Lula. Ele parecia que está sumido, mas está sempre ligado ao Anel do Poder e maquinando as forças do Mal. O velho Morgoth é Getúlio Vargas. Apesar de morto há eras, forneceu o modelo estatal-ditatorial-personalista estilo "Pai dos Pobres" que o Sauron de nove dedos apenas aperfeiçoou e busca ser o sucessor espiritual. 

2. Mordor é Cuba . A cidadela humana tomada pelas trevas que se tornou Minas Morgul é a Venezuela. O Foro de São Paulo/UNASUL é a torre de Barad-Dur, onde o olho de Sauron espera voltar a se materializar com sua vitória definitiva. 

3. Os orcs são os petistas. Os ogros são o MST, a parte pesada do exército das trevas. Os trolls são os sindicatos, que são petrificados pela luz da verdade. 

3b. Mercadante, Suplicy, etc são aqueles chefes orcs que muito rugem mas na hora da batalha perdem até para os hobbits. 

4. Os goblins seriam o PSOL, a linha auxiliar dos orcs. E tem uma atração especial pela riqueza dos anões (ver abaixo) 

5. O Anel do Poder é o governo federal. Um anel para a todos dominar. "My precious". E Lula-Sauron só pensa em obtê-lo de volta. Transtorna e corrompe todos que se envolvem com ele. E é fonte inesgotável de tentação. 

5b. José Dirceu é Gollum. Ele pensou ser o herdeiro definitivo do Anel do Poder, que o usou, exilou, consumiu e o transformou numa criatura patética e problemática, uma sombra de si mesmo. (A história ainda está para ser contada se este Gollum vai em sua independência ser fundamental para banir de vez Sauron.) 

6. Os elfos são o PSDB, que já tiveram o anel, mas são arrogantes o bastante para não se envolver com outras raças e estão em decadência. Preferem se entrincheirar nas florestas encantadas de São Paulo e Paraná, mas sofrem tendo sido destruído o reino elfo encantado de Minas Gerais. Ainda assim não descem do salto. A arrogância de FHC é digna de um rei dos elfos... São Paulo é Lothorien onde Alckmin flana seguro feito uma Galadriel. O paraná é Rivendell, onde a pouca resistência contra Mordor se reúne. E Minas Gerais era a floresta de Mirkwood, mas que já caiu para as trevas do necromante Pimentel de Don Guldur, uma das manifestações de Sauron. 

7. Os humanos são o PMDB: Eles já foram fortes no passado, mas estão divididos e falta um rei. São eles que desequilibram a balança entre elfos e orcs. Muitos foram seduzidos pelo Anel do poder e forneceram os Nazgul como escravos sem alma de Sauron e seu anel (Renan Calheiros antes da rebelião, Michel Temer, Romero Jucá, Cabral, Paes). 

7b. O Regime militar era o reino de Númenor. Outrora próspera, foi corroída por dentro por Sauron e asseclas vermelhos. O Sauron-Lula como nova esquerda sindical fingiu que ajudava Númenor-Militares enquanto entregava a velha esquerda, mas também enfraquecia ideologicamente o governo. Quando Númenor caiu em 1985, o caos permitiu a lenta porém contínua tomada de poder de Sauron e Mordor anos depois. Os elfos e humanos fracassaram totalmente em manter a ordem na Terra Média. 

8. Os anões são os empresários. Eles pensam que podem contemporizar com Sauron e viverem tranquilos cavando suas riquezas. Mas as vezes desenterram demônios e atraem dragões que são aliados tácitos de Sauron. Joaquim Levy é o Balrog tributário e as empreiteiras são o Smaug da cartelização. Alguns reis anões também ganharam anéis de Sauron (BNDES), como Eike Batista e a família JBS. No final os anões sempre perdem toda sua riqueza. Já dizia Lênin: "os burgueses te vendem a corda com a qual serão enforcados" 

9. Não há o guardião Gandalf, Quer dizer, havia, mas morreu num acidente de helicóptero faz tempo... 

9b. A banda boa do Ministério Público, Justiça e Polícia Federal é o reino de Gondor. São valorosos, bem intencionados e estão na linha de frente contra Mordor e as trevas. Mas não tem líder e sozinhos não são páreo contra os orcs unidos. E os elfos não estão nem ai... 

10. Os outros Nazgul foram recrutados entre PROS, PSD, PDT, etc (Katia Abreu, Kassab, os irmãos Ciro, Afif, Cristovam Buarque). Também eram reis em suas terras, mas o Anel do Poder roubou suas almas com seus sub-anéis, ie, os ministérios. 

11. Dilma é como Saruman (com muito - mas muito menos - inteligência): Originalmente no PDT era contra a linha petista, ai se converteu e os auxiliou. Mas ela poe os pés pelas mãos e vai terminar exilada e na prática só prejudicando mesmo o reino dos hobbits. Preocupado em se safar, Sauron não irá em auxílio de Saruman na desgraça. O Palácio do Planalto é a torre de Orthanc: Quer parecer independente mas na verdade é um testa-de-ferro de Mordor e Barad-Dur. 

12. Os Dúnedain (descendentes dos númenorianos) são os brasileiros de direita, que hoje estão na internet. 
Apesar não possuir força politica própria, são a verdadeira linha de defesa contra o Lula-Sauron, por isso são chamados de guardiões. 
O inimigo os caça impiedosamente por todos os lados, principalmente nas universidades, por isso os Dúnedain vivem escondidos. 
O rei que retornará para ter o melhor e mais próspero governo jamais visto, esta entre eles, mas Dúnedain não acreditam na própria força, devido as falhas do passado. 

13. Finalmente os hobbits são aqueles brasileiros sossegados que pensam que nada disso os afeta e só querem pensar em futebol, comer e dormir. São os hobbits que aguentam nas costas todo o peso tributário de carregar o Anel do Poder que é o governo federal. Os hobbits vão se lascar mais cedo ou mais tarde nas mãos de Sauron e seus orcs. Mas são os únicos que podem destruir este Anel federal, digo, do Mal.

Milton Aldana

Postagens populares

Google+ Badge

WebMD Health News

Spanish Word A Day

EnBicicleta

Web_Cams_Travel

Últimas do Omelete - Filmes

Phoenix

Phoenix
Temos a Phoenix em nossa alma;

Kibe Loco

Pictures of Starfish

Translate

Google+ Followers

MTV Music Videos